X-Men: Fênix Negra | Trailer Oficial Legendado

Um dos segredos mais bem guardados do próximo filme dos X-Men, Fênix Negra, foi finalmente revelado no mais recente trailer: A mutante Mística (Jennifer Lawrence) morre no filme (estreia em 7 de junho).

A reviravolta é revelada nos momentos iniciais do novo trailer da épica saga de quadrinhos, estrelado por Sophie Turner (Game of Thrones) como Jean Grey. Enquanto luta com a emergente Fênix dentro dela, Jean ataca e mata Mística enquanto os outros X-Men, incluindo Charles (James McAvoy), Besta (Nicholas Hoult), Ciclope (Ty Sheridan) e Tempestade (Alexandra Shipp) assistem.

A EW conversou com o diretor Simon Kinberg sobre a decisão de mudar o jogo, adaptando o icônico enredo de Fênix Negra e se esse é ou não o filme final dos X-Men.

EW: Vamos começar com a grande coisa: O trailer revela que Mística morre neste filme. O que fez você querer revelar isso?“Bem, o processo de pensamento por trás disso foi principalmente mostrar que este é um filme diferente dos outros filmes de X-Men. É um filme onde coisas chocantes acontecem, onde coisas intensas e dramáticas acontecem. As pessoas não caem dos prédios, se limpam e vão embora. Existe uma realidade para este filme e uma conseqüência para este filme. Mais do que isso, foi para mostrar que Jean/Fênix Negra é genuinamente uma ameaça para todos, incluindo os X-Men.”

EW: Você ficou nervoso em matar uma das maiores estrelas do filme e sua boa amiga, Jennifer Lawrence? “Eu tive muitas emoções sobre isso. Fiquei obviamente triste com isso, como amigo da Jen, e também como fã da Jen como atriz. Mas eu senti que era a coisa mais forte e mais dramática para o filme, e às vezes você tem que tomar essas decisões difíceis para atender a história maior. E a história maior é realmente Jean perdendo o controle porque ela é mais poderosa do que qualquer outra pessoa no mundo. Para dramatizar isso corretamente, você tem que mostrar uma perda real, você tem que mostrar uma dor real e mostrar uma ameaça real. Eu não queria fazer isso explodindo um prédio com pessoas anônimas. Tinha que se sentir muito pessoal para os X-Men, e eu queria que fosse algo que iria fraturar os X-Men também. Mística é alguém que em nosso universo faz parte dos X-Men e faz parte do mundo de Magneto. Sua morte afeta literalmente todo mundo.”

Sim, ela atravessa os dois universos. Mística morre quando Jean volta para seu bairro de infância e todo o inferno se solta. Vocês todos gravaram isso em plena luz do dia. Foi tão difícil manter um segredo dos paparazzi ou pedestres? “Foi um desafio. Uma das coisas que eu queria fazer com esse filme era faze-lo do lado de fora, fazer com que você se sinta no local e colocá-lo em ambientes reais tanto quanto em ambientes sobrenaturais. Mas eu queria que sentisse que poderia acontecer em sua vizinhança. Esse bairro em particular nós construímos a partir do zero. Aquela rua inteira era uma construção no estúdio em Montreal, e era uma construção gigantesca. Todas aquelas casas e a ponte que você vê à distância, tudo isso foi realmente construído e não por segredo, mas obviamente ajudou com isso. Mas mais porque há muita ação que acontece lá. As casas são explodidas e você obviamente não pode fazer isso em um ambiente real.”

Existem outras mortes importantes nisso além da Mística?
“Certamente há outras grandes baixas nisso.”

Em X-Men: O Confronto Final, Jean vai para casa e mata o Professor X. Neste filme, Jean mata Mística enquanto está em casa. Isso é uma coincidência, ou é apenas que ir para casa é intenso para todos?
Eu estava consciente disso. Há cenas dela indo para casa nos quadrinhos. Isso é uma grande parte disso, e então a outra grande parte é o que você disse: Ir para casa extrai muita emoção crua de um personagem. Quando estava escrevendo, eu não tinha consciência disso, para ser honesto com você. Quando comecei a editar e passei de puramente criativo a um pouco mais objetivo depois de terminar um rascunho, eu fiquei tipo “Ah sim, isso é algo do X3.” Mas certamente não é uma homenagem, é uma sequência muito diferente.”

Dark Phoenix (2019) Jessica Chastain & Sophie Turner CR: 20th Century Fox

Jessica Chastain está neste filme também. Temos mais algumas cenas dela manipulando Jean no trailer. Você pode nos falar mais sobre o papel?
“Sua personagem é uma alienígena. Ela vem de outro planeta. Quando você vê a entidade que entra em Jean no espaço não é uma explosão solar – é uma força cósmica. Para aqueles que conhecem os quadrinhos, eles sabem o que é a força. A personagem de Chastain é desenhado e tem procurado essa força cósmica, e ela a leva para a Terra e para Jean. É uma força que ela quer controlar ou destruir.”

Então é a Força Fênix dos quadrinhos?
Sim.”W

Quais são os poderes de Chastain nisso?
“Ela definitivamente é mentalmente tão forte quanto Jean. Jean não consegue ler sua mente. Como você vê no trailer, ela pode manipular as outras mentes para que elas vejam as coisas que ela quer que elas vejam. Mas ela tem todo um conjunto de poderes que nós exploramos no filme; alguns deles são mentais e alguns deles são físicos. Há toda uma sequência em que basicamente ela separa os X-Men.”

A morte da Mística basicamente separa os X-Men em dois lados: um quer salvar Jean e um quer matá-la. Isso esta certo?
Isso está exatamente certo. A morte de Mística é a coisa que fratura a família dos X-Men, incluindo Magneto [Michael Fassbender], e coloca pessoas que eram amigas de lados opostos, e pessoas que eram inimigas se tornam aliadas. Para mim, se há uma metáfora para o filme, é como se alguém em sua vida ou sua família comece a perder o controle, seja por causa de drogas ou problemas de saúde mental ou coisas menores, a questão é: Em algum ponto você desiste deles? E quanto tempo você espera por eles?”

E Magneto tem dois mutantes com ele para confrontar Jean em Nova York. Você pode contar quais são?
“Eu posso dizer quem é um deles: uma deles é Selene, que tem muitas iterações diferentes nos quadrinhos e faz parte do Clube do Inferno.”

O Clube do Inferno está nisso?
“Não, eles não estão no filme.”
And Charles as well because she’s like a daughter figure for him, and someone he’s known since she’s been a little girl and feels responsible for and feels responsible for something he’s done wrong in her life.

Baseado no trailer, parece que o filme se baseia em Scott tentando salvar Jean. É assim que o filme se desenrola?
“Essa é uma grande parte do filme. Scott e Charles estão alinhados tentando salvá-la. Scott, porque ela é o amor de sua vida, e sua história de amor é algo tão poderoso nesses filmes e tão poderoso nos quadrinhos. E Charles também, porque ela é como uma filha para ele e alguém que ele conhece desde que ela é uma garotinha e se sente responsável por algo que ele fez de errado em sua vida.”

Dark Phoenix (2019) Sophie Turner CR: 20th Century Fox

Muito desse trailer é Sophie parecendo intensa e intimidadora. Pessoalmente, ela é o oposto. Você realmente toca sua ferocidade nisso. 
“Uma das coisas que eu queria fazer com esse filme cinematograficamente era estar mais com os personagens. Há muito mais câmeras e muito mais close-ups, muito mais de sentimentos e intimidade e com isso vem um certo nível de intensidade, porque você sente as emoções e raiva dos personagens mais do que você faria nessas grandes telas. Sophie é definitivamente uma pessoa adorável e muito feliz, bem ajustada na vida real, mas conhece muitas pessoas e tem estado em torno de muita escuridão e pode explorar isso. Quando estávamos nos preparando, uma das coisas que eu disse a ela foi que eu queria explorar a esquizofrenia com a personagem. Por mais que os X-Men estejam estilhaçados, a própria Jean está estilhaçada, obviamente. Sophie fez uma tonelada de pesquisas sobre esquizofrenia e transtorno de personalidade múltipla. Ela andava por aí, era Londres ou Nova York, com fones de ouvido, apenas com vozes tocando em sua cabeça, para que ela experimentasse como era viver no mundo em que vivemos, mas ouvimos vozes que estão lá, e como isso seria enlouquecedor para o mais saudável de todos nós.”

Um dos maiores cenários do trailer é uma cena com os X-Menem um trem que Jean eventualmente levanta do chão. Você pode falar um pouco sobre isso?
“Sim, eu não quero falar muito porque é uma das nossas maiores sequências. Como consequência do que acontece em Nova York, os X-Men e Magneto e as pessoas que Magneto trouxe consigo acabam naquele trem. Há um ataque no trem e Jean é parte dele, e em certo ponto flutua para fora do trem e com seus poderes que são sobrecarregados por essa força da Fênix dentro dela, literalmente arranca o trem dos trilhos e o envia girando o ar e as pessoas vão voando do trem. Termina bem para alguns e não tão bem para os outros.”

Parece que todos eles vão a todo vapor com seus poderes nisso.
“É uma sequência enorme em termos de efeitos visuais e poderes. O que me deixa mais orgulhoso em termos de ação é que é muito visceral, a violência e a ação. Você vê Magneto fazendo algumas coisas retorcidas. Você imagina que um trem é obviamente cheio de metal, então ele não tem nada além de armas ao redor dele. O que eu realmente queria fazer nesse filme é mostrar o quanto Tempestade é poderosa porque ela é obviamente uma personagem incrivelmente poderosa e forte nos quadrinhos, e eu senti que esta é uma oportunidade para mostrar isso. Este é, de longe, o maior uso de poderes que temos visto de Tempestade nesses filmes. Essa é uma sequência em que ela também está voando em velocidade acima do trem, disparando raios do céu.”

Você e eu conversamos sobre isso, mas Fênix Negra é muito focado nas mulheres. Isso era algo que você queria desde o começo, certo?
“É sim. Mais do que tudo, é uma história centrada nas mulheres, porque temos uma protagonista feminina, Jean. Eu não queria mudar isso. Eu pensei que parte do que aconteceu em X-Men: O Confronto Final é que em vez de fazer uma história de Jean, tornou-se uma história da cura, que era realmente a história de Charles, Erik e Wolverine, e eu realmente queria que fosse Jean história. Ela é o personagem dominante neste filme. E você está certo, as outras personagens dominantes são as personagens Mistica, a de Jessica Chastain e Tempestade está mais forte do que antes. Parte do que eu sempre amei sobre os X-Men é que eles têm personagens femininas incrivelmente fortes e eu apenas achei que era hora de ajudar que viesse à tona no universo do filme também.”

Fênix Negra originalmente deveria sair em novembro, e agora está previsto para junho. O que estava por trás desse atraso?      “Bem, foi uma combinação de coisas. Uma delas, em novembro, foi sempre uma data de lançamento muito ambiciosa para nós, considerando a quantidade de efeitos visuais e quão complexos os efeitos visuais são nesse filme. Quando achávamos que não poderíamos concluir o filme no nível que queríamos concluir do ponto de vista dos efeitos visuais, pensamos em movê-lo de Novembro para Fevereiro. Então, por causa da maneira como o calendário internacional era para nós e da rapidez com que conseguimos material para outros territórios, sentimos que Fevereiro tornou-se não apenas desafiador, mas não necessariamente a melhor janela internacional para o filme. Está muito perto de Capitã Marvel. O estúdio começou a sentir que o filme tinha uma escala tão grande que poderia competir no momento mais competitivo dos filmes, que é no verão. Então começamos a olhar para o potencial das datas de verão, e o dia 7 de junho se destacou como uma data que poderíamos ter para nós mesmos. No entanto, muitas semanas depois dos Vingadores, não haverá um filme de história em quadrinhos por algum tempo, e nossa esperança é que as pessoas fiquem animadas em ver outro filme.”

Todo mundo está se perguntando agora, este é o último filme dos X-Men com esse elenco, dado o acordo da Disney com a Fox?
“Eu realmente não sei. Não tive conversas formais com a Disney. Eu conheço [o presidente da Marvel Studios] Kevin Feige muito bem. Mas nós não tivemos conversas formais porque até que a fusão seja oficial, eles não podem ter esse tipo de conversa com o pessoal da Fox ou comigo. O que é interessante é que obviamente eu comecei este filme muito antes de a Disney comprar a Fox, e eu me aproximei do filme sabendo que era o quarto filme com nosso elenco de Primeira Classe e que a história da Fênix para mim é a última história dos X-Men. Eu me aproximei do filme como se fosse a culminação em alguns aspectos – não que não pudesse haver outros filmes, mas eu me aproximei do filme como se, se você passasse 20 anos vivendo com essa família, esse é o filme que você ver a família realmente testada, desmoronar e espera voltar a ficarem juntos. Havia algo nesse sentido de fechamento para a família, esse senso de teste, esse sentimento de perda. Parecia que não é necessariamente o fim, mas é isso para eles.
É o clímax desta franquia. Quando fizemos os testes de cabelo e maquiagem para esse filme, eu fiz a música do The Doors “The End” tocar apenas para definir o clima para os atores e a equipe. Foi esse sentimento de que este é o clímax de muitas histórias e um longo relacionamento que todos construímos. Parecia que era hora de pelo menos lhes dar uma enorme história explosiva que exigia um tipo diferente de resiliência deles. Eu realmente senti isso, eu não poderia imaginar onde mais ir com esses personagens depois do que eles passaram neste filme.

Matéria: EW | Tradução: Biah (Equipe Sophie Turner Brasil)