24.07

Sophie conversa com o Digital Spy TV sobre a nova série de documentários #PowerShift e como a rede social influencia as pessoas atualmente, não só para coisas ruins, como para coisas boas também. Leia a tradução completa abaixo:

Sophie Turner teve um grande ano até agora. Não apenas seu alter ego Sansa Stark em Guerra dos Tronos teve indiscutivelmente sua melhor temporada até agora, ela também teve sua estreia em X-Men como a jovem Jean Grey em Apocalipse.

Agora, ela mudou seu interesse para documentários cinematográficos. Sophie encabeça a série online #PowerShift para o Huffington Post UK, na qual ela investiga sobre como a mídia social pode ser uma força para o bem, ao invés do mal. Você pode assistir o primeiro episódio completo abaixo:

Falamos com Sophie em profundidade sobre o projeto, suas experiências com mídia social e o que seus colegas de elenco de Guerra dos Tronos fazem com tudo isso:

Você já tem uma grande presença na mídia social. Qual foi uma das principais razões pela qual você quis se envolver em um projeto como o PowerShift?

“A principal razão pela qual eu quis entrar foi porque você vê muitas coisas negativas que vêm com a mídia social, você se torna muito consciente disso. Mas eu queria explorar as positivas. As únicas coisas que você ouve nas notícias são as coisas ruins que aconteceram online, ou body-shaming e coisas assim. Eu queria explorar as coisas boas que vêm com ela. Não apenas para todo mundo, mas para mim mesma, foi muito importante aprender isso para mim também.

“É tão revelador o que não sabemos sobre mídia social. É a fonte de tantos movimentos grandes que acontecem hoje. Como #BlackLivesMatter ou o Ice Bucket Challenge. Em tantas ocasiões a mídia social foi a catalisadora desse tipo de coisas. Eu aprendi uma quantidade inacreditável só pelas poucas semanas que passei trabalhando nisso.”

A série foca em muitos dos movimentos e campanhas positivas que a mídia social tem estado por trás ― você espera persuadir as pessoas de que isso possa ser uma coisa boa?

“Não é uma coisa tão ruim, a mídia social. Existem coisas como body-shaming, e é aterrorizante quão rápido as notícias se espalham. Mas se você virar ao contrário e as pessoas pararem de usar para coisas mesquinhas ou para humilhação pública, então pode ser realmente uma força para o bem. A geração Y, especialmente, usam na vida diária deles para fazer as coisas mais efetivas, rápidas, e melhores.

“Tantas decisões importantes estão sendo feitas por causa da mídia social. Ela realmente afeta o resto do mundo. Um dos episódios no qual fiquei realmente envolvida foi o sobre censura e como lugares tal como Coréia do Norte, Turquia e Arábia Saudita baniram a mídia social na sociedade.

“É tudo sobre como estamos tentando fazer a diferença aqui e como, usando plataformas que as pessoas ainda não conseguiram banir, estamos fazendo mudanças enormes a milhares de quilômetros de distância ao redor do mundo. É um modo tão efetivo de comunicação com outros da geração Y e de tentar se unir e fazer um movimento acontecer.”

Mídia social também pode ser uma ferramenta do mal, é claro ― a série aborda isso?

“É muito fácil ser pego na mídia social. É uma coisa bastante egoísta. Especialmente no meu ramo de trabalho, suponho. Mídia Social é uma plataforma para autopromoção e do produto que você está fazendo. Realmente abriu meus olhos para quantas coisas maravilhosas vieram dela e como eu poderia fazer a diferença apenas apertando um botão. Então realmente me inspirou a me envolver em coisas diferentes e começar a usá-la para o bem, ao invés de razões egoístas.

“Eu realmente não estava consciente de quantas coisas positivas podem sair da mídia social. Mas agora que aprendi sobre elas, adoraria ir fundo no lado negativo também. Eu estou lendo um livro ― So You’ve Been Publicly Shamed [Então Você Foi Humilhado Publicamente], de Jon Ronson. É sobre como as pessoas são humilhadas publicamente, em um minuto você pode mandar um tuite, entrar em um avião, e no momento que você desembarca terá milhões de haters ao redor do mundo! É definitivamente algo que adoraria explorar.”

Você teve oportunidades de fazer este tipo de programa antes? Você já se viu fazendo trabalho de apresentadora?

“Pessoalmente, não acho que eu seja uma ótima apresentadora! É provavelmente quando estou mais vulnerável e constrangida. Eu não quero fazer nada parecido com apresentar porque eu prefiro fingir que sou outras pessoas! Mas isso pareceu tão importante e relevante que foi difícil ignorar. Mas é esquisito ser você mesma na frente da câmera, não tenho certeza se gosto!”

Você já quis desistir da mídia social?

“Eu acho que é meio estranho. Quase parece uma realidade alternativa. Eu tento bastante separar eu mesma dela. Porque me aterroriza ter tanto poder na mídia social. Depois de fazer isso, eu aprendi os benefícios dela, e estou definitivamente aprendendo. Estou chegando lá! É bastante como um relacionamento de amor e ódio.

“Claro que tive momentos onde pensei ‘Deus, odeio isso’, porque com cada comentário positivo, você recebe dez comentários negativos. Se sua única razão para usar a mídia social é para promover um filme que você está fazendo ou uma capa de revista, pode ser bastante egoísta. Você pode começar a pensar ‘Qual é o sentido?’

“As pessoas são muito rápidas em dar uma resposta. Eu aprendi agora que é muito saudável ter discussões em uma plataforma onde as pessoas podem interagir com você, e se tornou uma discussão global. Enquanto não for sobre quão feia é a Sophie Turner, fico feliz em interagir com eles!

“Por exemplo, outro dia eu postei uma foto minha no Instagram de um arco íris na Pride após o tiroteio em Orlando, e imediatamente alguém foi muito rápido em responder com comentários negativos. E então foi realmente interessante ler meu feed do Instagram e ver a discussão que aconteceu. Não eram apenas comentários mesquinhos feitos por pessoas aleatórias, foi realmente intelectual, discussões pensadas. A mídia social tem realmente desenvolvido com o passar dos anos.”

Maisie Williams tem feito seus próprios vlogs, você falou com ela ou com outros colegas de elenco de Guerra dos Tronos sobre mídia social?

“Eu falei com Maisie porque ela é da geração Y. Ela é muito envolvida com a plataforma da mídia social e a abraça, acho isso incrível. Também é algo que te faz mais relacionável e você se distancia menos das pessoas que te admiram, e acho importante que você não se coloque em um pedestal.

“Maisie é muito verdadeira com seus fãs, e acho isso incrível. Eu falei com outros colegas de elenco. Kit não consegue usar, apenas não consegue! Acho que Maisie é a única que é realmente interativa, mas mais poder para ela.”

Sansa teve um grande ano em Guerra dos Tronos em 2016, como tem sido ser capaz de desenvolvê-la com o passar dos anos?

“Ah meu deus, tem sido incrível. Tem sido realmente a melhor experiência da minha vida, interpretar Sansa. Poder trabalhar com uma personagem por sete anos, sou tão sortuda por ter feito isso. Normalmente, você consegue trabalhar com um personagem por duas horas de filme, e quando você acaba com eles não tem a chance de desenvolvê-los.

“Sansa, da primeira temporada até agora, é tão diferente e sinto como se essa foi a temporada pela qual estive esperando. Foi muito recompensador mostrar que Sansa tem mais potencial, o que vi nela desde o começo. Realmente vi. Ela é durona!”

Você assistiu a você mesma desde a primeira temporada? E é estranho saber que só tem mais duas temporadas?

“Eu não fiz uma releitura da primeira temporada! Não pretendo fazer, apenas porque acho muito constrangedor. Acho que quando a série acabar provavelmente irei assistir a tudo e terei uma perspectiva diferente, será realmente interessante assisti-la não estando mais envolvida. Mas não, não voltei, isso seria meio que aterrorizante. Porque acho que fui tão mal na primeira temporada. Acho que quando estiver um pouco mais velha, irei rir de mim mesma.

“Ah deus, é horrível. Tem sido uma rede de segurança para mim. Saber que vai acabar, meio que é uma perda quanto ao que fazer comigo mesma. Tem sido minha vida e adolescência inteiras, e será como andar em uma corda bamba sem cinto de segurança. Será bastante assustador.”

Novos episódios da série original do HuffPost UK com Sophie Turner irão ao ar no HuffPost UK toda quarta-feira por oito semanas.


Sophie Belinda Jonas (nascida Turner, Northampton, 21 de fevereiro de 1996) é uma atriz britânica, mais conhecida por seus papéis como Sansa Stark na série de televisão Game of Thrones da HBO e como a jovem Jean Grey na franquia X-Men.

🎥| RUIVÍSSIMA!! Sophie Turner e Frank Feys via @/atores_workshop_spain no Instagram. pic.twitter.com/r6Vl972QT0

Yesterday from Site Sophie Turner Brasil's Twitter via Twitter for iPhone

Nome: Sophie Turner Brasil
Webmiss: Beatriz Frazão
Desde: 26.09.15
Design: Nana Design
Codificação: Uni Design
Visitas:
Online:
Hospedagem: Flaunt

%d bloggers like this: